Governo do Estado tem 70 reservatórios mapeados para abertura de comportas

“Não há água disponível para nenhum tipo de desperdício”, alerta secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Andréa Vulcanis. Equipes da Semad deram início à abertura de barragens para reequilibrar vazão do Rio Meia Ponte

Da Redação

A secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Andréa Vulcanis, afirmou nesta quinta-feira (12/09) que o governo já mapeou 70 represas que terão prioridade na abertura das comportas para reequilibrar a vazão do Rio Meia Ponte em níveis que descartem a necessidade de racionamento na Grande Goiânia. A declaração foi prestada no início da tarde, ao lado do governador Ronaldo Caiado, em evento de abertura da primeira comporta, na Fazenda Mamoa, em Santo Antônio de Goiás.

Segundo a secretária, o caráter de urgência definiu as represas com vazão de fundo como prioritárias nos trabalhos, uma vez que não necessitam de obras para que a água alcance o rio. A secretária voltou a fazer o alerta: “Não tem água disponível para nenhum tipo de desperdício”.

“Foram mapeados todos os barramentos com espelho d’água acima de dois hectares, cujos produtores já estão sendo contatados para que possam disponibilizar a abertura das comportas”, afirma a secretária. “Nós estamos verificando aquelas que têm mais facilidade no escoamento, as que têm vazão de fundo, o que facilita bastante, porque a água já cai no rio”, informa. “A ideia é de que haja um revezamento desses 70 barramentos”, destaca Andréa Vulcanis.

O plano da equipe técnica da Semad é liberar 30% do volume das represas gradualmente até que o período chuvoso chegue e a vazão do Rio Meia Ponte retorne a níveis normais para captação por parte da Saneago. A média registrada desde o dia 14 de agosto era de 2.700 litros por segundo, número que sofreu uma queda abrupta nos últimos dias, apesar do intenso trabalho de fiscalização realizado pela secretaria, com notificações e multas.

Na manhã desta quinta-feira a vazão chegou a 1.481 l/s, número abaixo dos 1.500 l/s, limite estabelecido pelo governo para iniciar o racionamento de água em Goiânia e região metropolitana, o que motivou a ação emergencial de abertura das comportas de represas. Na medição das 17h, contudo, a vazão já apresentou melhora, com registro de 1.762 l/s.

A secretária Andréa Vulcanis destaca, no entanto, que a ação nos barramentos da Bacia do Meia Ponte não elimina a necessidade de que a população faça uso racional da água. “Nós estamos no limite máximo de restrição, a água disponível é mínima”, alerta. “Mesmo que nós façamos a abertura das represas, precisamos lembrar que há captação muito em cima, em Inhumas, então demora para que essa água chegue”, conclui.

A secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) do Governo de Goiás, Andréa Vulcanis: “Nós estamos no limite máximo de restrição, a água disponível é mínima”

Fonte: SEMAD

You may also like