Governo contratou brigadistas para atuar durante estiagem

Ações federais ocorrem desde o início do ano

Da Redação

Nesta época do ano, com as altas temperaturas e a seca intensa, os incêndios são mais comuns. A preparação do governo com o cuidado e proteção do bioma amazônico para este período começa antes. Há dez anos, o Brasil desenvolve um trabalho de prevenção e treinamento de brigadistas.

Neste ano, o investimento do ICMBio foi de R$ 18 milhões para contratações de 1.170 apenas para o período de estiagem em todo país. “Historicamente, uma das maiores contratações”, contou o presidente do ICMBio. O Instituto também capacitou 120 especialistas em sete cursos para o período de seca.

Já o Ibama capacitou, em 2018, mais de sessenta mil pessoas em atividades de educação ambiental. Neste ano, até o mês de agosto, já foram capacitadas mais de trinta mil pessoas. O órgão também realizou ações de educação, comunicação com satélites, cursos e palestras e definição de áreas prioritárias.

“Trabalhamos em escolas para mudar essa cultura; técnicas alternativas ao uso de fogo com produtores rurais; plantio e reflorestamento de áreas degradadas, e, em assentamentos, é montado um calendário de queimas com os produtores já conhecendo as medidas preventivas”, explicou o chefe do Prevfogo, Gabriel Constantino Zacharias.

Mais da metade das brigadas do Prevfogo ficam na Amazônia Legal. Este ano são 1.500 pessoas contratadas. “É um trabalho reconhecido mundialmente, pelas ações com as comunidades de queimas pré-escritas e pela capacidade que temos de chegar aos lugares mais remotos da Amazônia”, ressaltou Gabriel Zacharias.

Foto: ICMbio/ Arquivo

You may also like