Iniciada a implantação do novo polo industrial/tecnológico de Anápolis

Prefeitura debate com a sociedade organizada a concretização do audacioso projeto

Por Portal Anápolis

Começou a sair do papel a criação do polo industrial municipal de Anápolis (Politec). Foi realizada, na última quinta-feira (13), no auditório do Parque Ipiranga, uma audiência pública para que se possa alterar a Lei Municipal nº 348/2016, o que vai permitir a inclusão, no perímetro urbano do Município, a área adquirida pela Prefeitura para a efetivação do projeto.  Trata-se de um terreno que fica na região Norte da Cidade, entre o Parque de Exposições Agropecuárias e a Ala 2 (antiga Base Aérea), proximidades do Ribeirão Piancó.

Conforme a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Tecnologia, o novo espaço propõe-se a abrigar empresas que não gerem resíduos ou quaisquer tipos de efluentes. E, de acordo com o Assessor Especial da Prefeitura, Professor Sóstenes Arruda, “isso, também, significa que a mão de obra demandada pelas empresas será altamente qualificada”. Ele adiantou que já se está desenhando (junto com a política municipal de incentivos para as empresas) uma série de ações de capacitação avançada para os anapolinos.

Como foi

A audiência pública contou com representantes do poder público, sociedade civil e agricultores da região do Ribeirão Piancó. O presidente em exercício da Associação dos Produtores Rurais daquela bacia, Luciano Andrade, manifestou seu apoio ao projeto. Declarou que a comunidade se mostra satisfeita com a iniciativa que, para ele, “vai trazer mais desenvolvimento e preservação para a região”. A área destinada ao novo distrito já está devidamente adaptada e não haverá a necessidade de qualquer intervenção agressiva, como desmatamentos. Além disso, será feita a reabilitação ambiental em toda a extensão: reflorestamento com espécies nativas do Cerrado e árvores frutíferas para se favorecer a fauna local.

Aspecto legal

A instalação do projeto exige uma série de providências técnicas e legais. A previsão é de que o distrito gere sua própria energia, com o uso de placas solares, por exemplo, e as empresas sejam obrigadas a fazerem o reuso de água, além do aproveitamento da água das chuvas. A expectativa é de que sejam geradas, até, 10 mil novas vagas diretas de emprego.

Pesa a favor do projeto, também, o fato de que a escolha do local para o novo distrito teve como fator principal a localização, na região Norte, de acordo com o Prefeito Roberto Naves. Ele explica que esta é uma das áreas mais populosas do Município, com mais de 50 mil moradores, que, em sua maioria, atravessam a Cidade diariamente para trabalharem ou buscarem oportunidades de emprego na parte Sul, onde está o DAIA.

Ressalte-se que, além do desenvolvimento socioeconômico para aquela parte da Cidade, que foi negligenciada por sucessivas gestões anteriores, a iniciativa promete transformar o trânsito na região urbana. Segundo o Prefeito Roberto Naves, Anápolis está desbalanceada, pois, muitas pessoas moram na parte Norte e trabalham na região Sul. “Então, este distrito industrial vai gerar empregos para toda a Cidade sim, mas, principalmente para quem mora nas regiões do Bairro Recanto do Sol e da Vila Jaiara”, concluiu o Prefeito Roberto Naves.

You may also like