Governo de Goiás lança campanha de combate à violência contra mulher

Mais que o material publicitário, governador Ronaldo Caiado já anunciou medidas importantes que visam proteger as goianas e punir agressores

Por Redação

Agora em Goiás, quem bate em mulheres está agredindo o Estado inteiro. É com esse mote que entra no ar, a partir deste domingo (8/12), uma campanha publicitária contra a violência doméstica e o feminicídio. A ação integra o Pacto Goiano pelo Fim da Violência Contra a Mulher, lançado pelo governado Ronaldo Caiado em 21 de novembro.

O vídeo apresenta mulheres e homens entoando um só discurso: a intolerância contra agressores. A ideia é mostrar a união das pessoas e a força que isso representa no combate ao crime. “Goiás vai reagir e fechar o cerco contra os covardes. Estamos todos unidos”, dizem os personagens. “Agressores não passarão. É tolerância zero”, continuam.

A propaganda termina com a frase “Todos por elas”. Segundo Caiado, não se trata somente de um slogan, mas de esforço integrado, amplo e efetivo com o objetivo de mudar o cenário de vitimização de mulheres em Goiás, tirando o Estado da triste posição que vinha ocupando no cenário nacional. A expressão Todos por Elas, explica, representa a união do Poder Público e dos mais variados segmentos sociais na luta pelo fim da violência contra a mulher.

Ações

O pacto é gerido pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) e pretende integrar políticas públicas. Uma das ferramentas que já está no ar é o “Alerta Maria da Penha”, que integra o aplicativo Goiás Seguro, da Secretaria de Segurança Pública (SSP), disponível para iOS e Android. Após baixar e finalizar o cadastro, qualquer pessoa pode acionar as forças de segurança para atuar no combate aos agressores de mulheres. Para tanto, basta clicar no botão “Alerta Maria da Penha”, que aparece na tela principal do aplicativo.

Na área operacional, o combate à violência contra a mulher já teve resultados expressivos em 2019. Na última semana de novembro, a SSP-GO realizou, em apenas três dias, 82 prisões de agressores de mulheres, efetuadas durante a Operação Marias. Pioneira no Estado, a ação contou com 653 policiais e 346 viaturas em uma força-tarefa envolvendo todas as Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (Deam) e as delegacias regionais de Goiás.

Os dados se juntam ao resultado da Operação Violare, que prendeu 151 homens que cometeram crimes sexuais, no último mês de agosto. Trata-se de uma das maiores operações contra esse tipo de crime já realizada no Brasil. Outra investigação da Polícia Civil de destaque tirou de circulação um estuprador que atuava em Goiás desde 2014 e fez pelo menos 30 vítimas, confirmadas por exames de DNA.

Em 25 de novembro, foi inaugurada na Superintendência de Polícia Técnico-Científica a Sala Lilás: um espaço multiprofissional adequado e exclusivo para a realização de exames de corpo de delito em mulheres vítimas de violência. A proposta é que o atendimento seja mais humanizado. O pacote de medidas inclui ainda a capacitação dos servidores e a abertura das unidades regionais especiais para atendimento às mulheres na região do Entorno do Distrito Federal e de Aparecida de Goiânia.

Também já foram assinados dois termos de cooperação técnica, voltados para a educação e justiça. O primeiro deles vai possibilitar a discussão sobre direitos das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar com alunos e professores da rede estadual, por meio do projeto “Maria da Penha na Escola”. O segundo, firmado com o Tribunal de Justiça de Goiás e o Ministério Público, tem o objetivo de recuperar e reeducar o agressor por meio da realização de grupos reflexivos.

Com informações Secretaria de Comunicação

You may also like