Anápolis define plano para volta às aulas na rede municipal

Secretaria Municipal de Educação inicia ano letivo com formato de aulas remotas e realizando formação para professores da rede

Por Redação

O ano letivo da rede municipal de educação de Anápolis começou nesta segunda-feira, 25, com aulas remotas, mantendo a modalidade não presencial, com uso de ferramentas digitais devido à pandemia da Covid-19. A posição foi tomada após discussão com os órgãos sanitários e a expectativa é de que o retorno presencial das aulas aconteça assim que houver a imunização dos professores, seguindo o calendário de vacinação e avaliação epidemiológica do cenário da doença na cidade. Segundo a secretária municipal de educação, Eerizania Eneias de Freitas, “o momento exige cautela, por isso o retorno acontece da forma mais segura possível para toda a comunidade escolar”.

A forma remota adotada no município alcança todos os alunos da rede, inclusive os que não possuem acesso à internet. Para esses, a família deve fazer a retirada de material impresso na escola e, para as crianças da zona rural a atividade impressa é enviada por um profissional da educação pelo transporte escolar.

De acordo com a assessoria pedagógica a tecnologia ganhou centralidade na comunicação, tornando se uma grande ferramenta na aprendizagem. A inovação não se restringe apenas ao conhecimento das tecnologias, agora faz-se necessária uma mudança de metodologia das ações das unidades escolares, para acompanhar esse aluno que pede uma atenção e um cuidado maior.

E para isso, a Secretaria realizou uma formação pedagógica para servidores da educação do município, realizada na semana passada, tratando do desenvolvimento de novos formatos de aula, a Semana Pedagógica com o tema “Inovar para Educar”. Essa formação foi pensada para ampliar as possibilidades do professor no retorno do ano letivo. Os palestrantes discutiram os desafios atuais da educação e perspectivas para 2021.

O formato não presencial adotado pela Secretaria foi destacado pela doutora em Educação Maria Inês Fini, que é presidente nacional da Associação Nacional de Educação Básica Híbrida- Anebhi e foi uma das palestrantes do evento. “Vocês, de uma maneira muito apropriada, decidiram pelo retorno remoto, que dá segurança ao permitir que o aluno fique em casa”, diz.

You may also like