Governador lamenta morte de professor e defende cultura da paz

Ronaldo Caiado cancelou agendas do último sábado para visitar Águas Lindas e se solidarizar com a família de Bruno Pires, assassinado por aluno em escola do município

Por Goiás 360

Sensibilizado e chocado com a morte do professor Bruno Pires de Oliveira, de 41 anos de idade, assassinado por um estudante na Escola Machado de Assis, na cidade de Águas Lindas, o governador Ronaldo Caiado voltou a defender a cultura da paz em toda sociedade, especialmente dentro das escolas.

Caiado cancelou suas agendas desse sábado de manhã para visitar Águas Lindas e se solidarizar com a família de Bruno. Ele se encontrou com os pais do coordenador e anunciou apoio do Governo do Estado aos professores e alunos da escola para superar esse trauma.

O governador disse que a cultura da paz deve prevalecer nas instituições de ensino e no seio das famílias. E orientou que é preciso que todos assumam as suas responsabilidades, famílias, pais, alunos, professores e autoridades.

“A cultura da paz existe no momento em que todos nós nos empenhamos em poder transmitir quais são os limites e quais são os direitos e deveres de cada um”, disse.

Caiado afirmou que o episódio em Águas Lindas deve servir como ponto de reflexão à sociedade e ao Governo, para agir e evitar casos assim. A solução certamente não será com um policial dentro de cada sala de aula, mas com um profundo comprometimento dos pais em relação aos filhos.

“É necessário que a gente volte a resgatar um sentimento que já não existe mais hoje em dia, que é o de respeito ao professor. É inadmissível admitirmos essa quebra de hierarquia. A maneira como um professor está exposto hoje, onde o jovem se acha no direito de agredir fisicamente e até de vitimá-lo, é inaceitável”, lamentou o governador, que avisou que a cultura da paz é um objetivo, mas que ninguém mais no Estado ficará impune em seus atos que transgridam a lei.

You may also like