Mulheres se revoltam ao encontrar clínica de estética fechada após terem pago por procedimentos

Da Redação

Cerca de 100 mulheres denunciam que pagaram por procedimentos estéticos, mas encontraram a clínica onde os serviços seriam realizados fechada, nesta quarta-feira (27), em Anápolis, a 55 km de Goiânia. O Procon acompanha o caso e disse que o estabelecimento já possui várias denúncias por não cumprir com promessas feitas em propagandas.

Em nota, a Clínica Ateliê Espaço Vip informou que “preza pela qualidade e transparência nos atendimentos aos seus clientes e todos os procedimentos vendidos têm data certa para acontecerem”. O comunicado nega ainda que o local estava fechado, que nunca houve intenção de dar um golpe e que as clientes que tiveram problemas poderão reagendar o serviço.

A uma cliente, na noite de terça-feira (26), por mensagem, uma responsável pela clínica disse que os serviços foram cancelados porque “as pessoas vão sempre nos mesmo horários” e que, desta forma, fica difícil controlar a situação. O texto diz ainda que os serviços seriam remarcados para dezembro.

Várias clientes que tinham o procedimento marcados – em geral aplicação de laser e depilação – formaram uma imensa fila e protestaram por não conseguirem atendimento. Elas dizem ter sido avisadas por uma funcionária da limpeza de que a clínica não abriria nesta quarta.

As mulheres alegam que o espaço oferece preços muito abaixo do praticado pelo mercado, vende vários pacotes, mas não consegue arcar com a realização deles.

“Na verdade, eu acho que eles vendem mais coisas do que eles conseguem cumprir porque a fila estava enorme. O problema é não ter uma satisfação. Ninguém avisa. Eles mandaram a moça da limpeza para avisar que não ia ter [atendimento]”, afirma uma delas.

“Sabe que é barato, mas a gente imagina que vai ser atendida. A gente também vai ter uma promoção sexta-feira, então quer dizer que ela não tem valor?”, reclama outra.

Reclamações

O gerente de atendimento do Procon em Anápolis, Ariovaldo Pires, disse que o órgão recebe reclamações sobre os serviços da clínica desde o ano passado. No total, já foram cerca de 30 questionamentos formais.

“Desde meados de outubro de 2018 existe reclamação dessa clínica. Eles vendem o procedimento e na hora que a pessoas chega para fazer, eles inventam que não tem a máquina, que não tem como fazer o procedimento, não tem como realizar. Isso fere o Código de Defesa do Consumidor”, explica.

Pires pontua que nos casos em que foi feito o anúncio de um serviço e o mesmo não foi realizado após o pagamento do cliente, é necessário o ressarcimento.

“Nesse caso, se não fizer o procedimento correto que foi relatado na propaganda, eles têm que rescindir o contrato e restituir o consumidor naquilo que foi pago”, destaca.

O gerente destaca que em outros procedimentos nos quais a clínica é alvo de reclamações, já houve casos em que os clientes conseguiram o dinheiro de volta.

“Através de processo que a gente já abriu conseguiu o dinheiro de volta. Abre a reclamação, tem a audiência. Alguns eles devolvem o dinheiro sem a audiência. E a maioria das vezes eles nem comparecem à audiência”, salienta.

Com informações do G1 Goiás Foto: Reprodução/TV Anhanguera

You may also like