Prefeitura avança na criação do DAIA municipal, que deve receber indústrias em 2020

Projeto de lei que cria o novo distrito foi apresentado para aprovação da Câmara

Da Redação

Na região norte de Anápolis, entre o Parque de Exposições Agropecuárias e a Ala 2 (antiga Base Aérea), será edificado o polo industrial do município, que irá impactar de forma positiva toda região. A área, de 19 alqueires, iniciará a preparação para receber as empresas após a Câmara de Anápolis autorizar o Projeto de Lei Complementar nº 21/2019, protocolado nesta semana, que autoriza a negociação do espaço através de permuta.

“A escolha da área levou em conta a viabilidade do fornecimento de energia, abastecimento de água e a proximidade de viaduto ou trincheira. Mas o fator principal é a localização, na região norte da cidade”, garantiu o prefeito Roberto Naves. Ele argumenta que se localiza em uma das áreas mais populosas do município, chamada de grande Recanto do Sol, com mais de 50 mil moradores, que na maior parte atravessam a cidade todos os dias para trabalhar ou procurar vagas de emprego na parte sul da cidade, onde se localiza o Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia) — que não tem mais espaço para novas empresas e enfrenta gargalos de infraestrutura, impedindo a continuidade do crescimento em decorrência da chegada de novos negócios à região.

Além do desenvolvimento socioeconômico para essa região da cidade, que foi ignorada pelas várias gestões que se antecederam à atua gestão, a iniciativa promete transformar o trânsito na cidade. Segundo Roberto Naves, Anápolis está desproporcional, muitas pessoas morando na parte norte e trabalhando na região sul. “Então, este distrito industrial vai gerar empregos para toda a cidade sim, mas principalmente para quem mora na grande Recanto do Sol e na Jaiara”, explicou.

O novo polo, tem como alvo as empresas na área da tecnologia, que não geram poluição ou qualquer tipo de efluente. Ainda não é possível quantificar o volume de empregos que serão criados, mas a área terá capacidade para abrigar mais de uma centena de empresas, que vão demandar mão de obra com alta qualificação. A previsão é que já em janeiro de 2020 as primeiras indústrias comecem a chegar. Todas as regras de ocupação e operação serão formuladas junto à própria Câmara Municipal e ao setor produtivo.

E tem mais notícias boas chegando por aí, para atrair novas indústrias. O prefeito Roberto Naves já está desenvolvendo uma política municipal de incentivos para as empresas que ocuparão o novo espaço. Em breve, serão divulgadas informações.

You may also like