11ª Conferência Municipal de Saúde reúne profissionais da área para aprimorar conhecimento

Durante três dias de aprofundar o conhecimento para aprender mais a respeito do tema: Democracia e Saúde.

Todavia os caminhos para a descobrir soluções plausíveis, vêm de debates, reuniões como a que está acontecendo em Anápolis. O evento teve início na noite da última quarta (03), e foi até o fim da tarde desta sexta (05). Os profissionais que trabalham na área da saúde em Anápolis estiveram reunidos em busca de mais conhecimento, sobre o Sistema Único de Saúde (SUS). A idealização é execução do evento é do Conselho Municipal de Saúde (CMS), em conjunto com a Prefeitura de Anápolis, via Secretaria de Saúde.

Na noite de quarta-feira (03), tivemos a abertura da Conferência. Todos foram recepcionados e respectivamente apresentados, fizeram parte deste momento na mesa diretiva, o secretário da pasta, Lucas Leite, presidente do CMS, Marco Aurélio da Silva Lima, presidente do Conselho Estadual de Saúde, Venerando Lemos, da Regional Pirineus, Patrícia Freitas Mendes, do TCM, procurador José Gustavo de Athayde, representando a Comissão Intergestora da Regional, Carlos Rodrigues Galvão Júnior, superintendente de políticas públicas de atenção integral a saúde do Governo de Goiás, Evanilde Gomides, além dos vereadores, Lélio Alvarenga, Telles Júnior e Elinner Rosa. A abertura foi no Sesc Anápolis e em seguida o momento de boas vindas, a Professora Doutora Cristiane Lopes Lemos (UFG ministrou a palestra Magna – “Democracia e Saúde”.

A 11ª Conferência Municipal de Saúde seguiu quinta (04), durante todo o dia. Sempre após cada palestra, era realizado um momento para troca de experiências e aquele momento de tirar dúvidas de quem participava. O consultor técnico do Ministério da Saúde, Roque Manoel Perusso Veiga falou sobre a Consolidação do SUS. “A gente precisa reforçar a atenção básica, mas a atenção primária tem que ser ordenadora dessa atenção com responsabilidade e visando a atenção integral do paciente. Esse apoio ao paciente no início da atendimento é essencial para desafogar a rede e dar sustentabilidade ao maior programa gratuito de saúde do mundo, que é o SUS”, disse Roque Manoel em sua palestra.
Nesta sexta-feira (05), o dia foi dedicado à formação de Grupos de Discussão (GT’s), com o objetivo de apresentar os problemas e encontrar as soluções para os gargalos da saúde pública, não só de Anápolis, mas os resultados apresentados aqui, poderão ser exemplo para várias cidades brasileiras. Após o período de GT’s, será realizada uma plenária para propor a deliberação dos assuntos discutidos durante a Conferência.

O secretário municipal de Saúde de Anápolis ressaltou que é necessário aproximar todos os segmentos da sociedade para participar do debate, isso ajuda na elaboração de ideias e soluções para a saúde municipal e até de outras cidades. “Participam da Conferência, usuários do SUS, nossos servidores, gestores, membros do Conselho de Saúde e comunidade em geral”, ressalta Lucas Leite.

Luana Mikaelle Moraes ainda não terminou a faculdade de Psicologia, mas fez questão de participar do encontro. Ela disse que se preocupa com o futuro e por isso, tem que entender como funciona o SUS e vai além, quer aprender como o usuário e o profissional de saúde podem colaborar para melhorar ainda mais o funcionamento da rede. “A gente tem que ter uma visão e um aprendizado de como o SUS funciona e como podemos fazer para melhorar. Temos que saber dos nossos direitos, queremos saber o que pode ou não. Sairemos daqui satisfeitos, tenho a certeza que de que levarei ainda mais conhecimento na minha bagagem de vida”, finaliza a estudante.

You may also like