Preço do ovo de Páscoa varia até 102% em Anápolis, mostra pesquisa do Procon

Da Redação

O consumidor que optar por presentear a família e os amigos com ovos de Páscoa, terá que pesquisar para não sair no prejuízo. De acordo com levantamento da Secretaria de Defesa do Consumidor (Procon Anápolis), a diferença de preços chegou a 102%.

Confira pesquisa completa aqui.

Foram levados em consideração sete estabelecimentos instalados no município e avaliados os preços de 55 itens, incluindo caixas de bombom. A marca com menor variação de preço entre os locais pesquisados foi a Nestlé, seguida da Garoto e, por último a Lacta. Esta última registrou a maior diferença de valores entre todos itens pesquisados, o ovo de Páscoa Sonho de Valsa, de 330g, que pode ser encontrado desde R$ 34,70 até R$ 69,99 – ou seja, 102%. Em segundo lugar neste ranking, está o Bis Oreo, com 84% de variação. Na categoria caixas de bombom, o recorde fica com o item Lacta Favoritos, 82% – menor preço R$ 6,59, maior R$ 11,99.

O gerente de fiscalização do Procon Goiás, Pedro Henrique Fonseca Bernardes, recomenda que todo o material publicitário seja lido e guardado para o caso de uma futura reclamação, pois estes documentos também servem como provas. “É muito importante o hábito de pesquisar os preços e a qualidade dos produtos comercializados em épocas comemorativas, pois a variação de um local para outro é significativa”, alerta o gerente.

Ele explica que todos os itens devem apresentar os preços de forma clara e ostensiva. E o comerciante não pode estabelecer valor mínimo para a utilização de cartão de crédito ou débito. “O prazo de validade, a composição e o peso líquido do produto, devem sempre ser verificados. Ovos de Páscoa que trazem brinquedos em seu interior devem apresentar em sua embalagem a frase: ‘atenção: contém brinquedo certificado no âmbito do Sistema Brasileiro da Avaliação da Conformidade”, completa.
Também é obrigatória a indicação de faixa etária ou, se for o caso, frase que informe que não existe restrição de faixa etária. O brinquedo deve ter o selo do Inmetro em sua embalagem, identificação do fabricante (nome, CNPJ, endereço), importador (caso o brinquedo seja importado), instruções de uso e de montagem, e eventuais riscos que possam apresentar à criança.

Fonte: Ascom

You may also like